terça-feira, 17 de maio de 2016

Temer escolhe Maria Silvia Bastos Marques para presidência do BNDES.

A economista Maria Silvia Bastos Marques será a nova presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), informou no final da tarde desta segunda-feira (16) a assessoria do presidente em exercício Michel Temer. Ela será a primeira mulher a chefiar a instituição, que tem, entre as atribuições, o financiamento de grandes obras e projetos no país.

Ex-presidente da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), ex-secretária de Finanças da Prefeitura do Rio de Janeiro e ex-diretora do próprio BNDES, Maria Silvia Bastos Marques é a primeira mulher indicada para a equipe de Temer depois do anúncio pelo presidente em exercício de um ministério exclusivamente masculino.

A ausência de mulheres e negros do ministério de Temer foi objeto de crítica da presidente afastada Dilma Rousseff. O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, do mesmo partido de Temer, o PMDB, justificou dizendo que os demais partidos que apoiam o novo governo e detêm ministérios não indicaram mulheres.

O ministro do Planejamento, Romero Jucá, negou que a escolha de Maria Silvia Bastos reflita uma preocupação de Temer de colocar uma mulher em um dos altos cargos do governo.

"É um convite para colocar alguém competente, experiente, que tem toda condição de fazer um grande trabalho no BNDES e, portanto, o presidente [em exercício] Michel entendeu de convidá-la. E eu considero uma ótima escolha", afirmou na noite desta segunda-feira (16).

Primeira mulher na presidência do BNDES: Segundo a assessoria do BNDES, Maria Silvia Bastos é a primeira mulher a ocupar o posto. Ela assumirá no lugar de Luciano Coutinho, que ocupava o cargo desde 2007, indicado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Além do nome da nova presidente do BNDES, outros presidentes de bancos oficiais devem ser anunciados ainda nesta semana.

É aguardado para esta terça (17), por exemplo, o anúncio, pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, do novo comandante do Banco Central, posto que vinha sendo ocupado por Alexandre Tombini, nomeado pela presidente afastada Dilma Rousseff.

Nenhum comentário:

Postar um comentário