segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Luiz Fernando Pezão é reeleito governador do RJ com 55,78%.

Luiz Fernando Pezão, do PMDB, foi reeleito neste domingo (26) governador do Rio de Janeiro para os próximos quatro anos. A apuração de 100% das 32.675 urnas terminou às 20h23, pouco mais de de uma hora e meia após o resultado ser definido. Pezão ficou com 4.343.298 votos, o que corresponde a 55,78% dos votos válidos. Marcelo Crivella (PRB) teve 3.442.713 dos votos (44,22%).

Votos brancos (3,39%) e nulos (13,96%) somaram 22,36%, o que corresponde a 2.713.771 votos.

O resultado saiu às 18h45, uma hora e quarenta e cinco minutos depois de as seções eleitorais terem sido fechadas. Com 94,41% das urnas apuradas, o candidato já tinha 4.121.804 votos, o que correspondia a 56,07% dos votos válidos, sem poder ser alcançado por Marcelo Crivella (PRB), que tinha 3.228.973 dos votos (43,93%).

O candidato derrotado, Marcelo Crivella, disse que ainda é prematura qualquer tipo de celebração do PMDB."Treze pedidos de cassação de registro do nosso adversário por abuso do poder econômico e abuso do poder político ainda não foram julgados. A luta continua nos tribunais, vou acompanhar o julgamento das 13 ações que o MP propôs". Ele disse que seu partido, o PRB, poderá recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF), em caso de derrota no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Ele falou deu entrevista coletiva no escritório do partido, no Centro do Rio.O governador votou pela manhã em Piraí, no Sul Fluminense, e no fim da tarde foi para um hotel na Zona Sul do Rio, onde concedeu entrevista coletiva e dedicou a vitória a Sérgio Cabral: "Ele apostou em mim", disse sobre o ex-governador (veja vídeo ao lado).

O dia de votação teve 174 detenções por crimes eleitorais no estado, sendo mais de 50 na capital, segundo o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ). Entre os detidos, esteve a deputada federal eleita Cristiane Brasil (PTB), filha do ex-deputado condenado no escândalo do mensalão Roberto Jeferson. Ela foi encaminhada à delegacia após ser pega fazendo boca de urna em favor do candidato à presidência Aécio Neves. Após prestar depoimento, foi liberada.

O sistema biométrico usado para identificação de eleitores funcionou bem desta vez. Longas filas e atrasos que prejudicaram a votação e a apuração no primeiro turno não foram repetidos, com as seções eleitorais encerrando suas atividades nos horários previstos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário